Casa FA

2018 | Estoril

Para o desenvolvimento da Casa FA foi definido um embasamento que se encontra semienterrado, para vencer o desnível de terreno presente no local. Este resulta da constituição de um volume à cota da via, onde as entradas para o interior do lote são demarcadas através da subtração de massas e pela constituição de um ripado de materialidade distinta. Sob este embasamento encontra-se um volume que resulta da transformação e subtracção de massas de um cubo branco, que foi modelado em função dos espaços interiores da habitação.

Esta modelação permite que o interior tenha uma forte relação com os espaços exteriores, sejam estes o jardim, alpendres ou terraços cobertos/descobertos. A permeabilidade entre os vários espaços ditos por “sociais” permite que os mesmos funcionem como um todo, sem qualquer tipo de barreiras no espaço.

Uma das principais componentes para o desenvolvimento do piso superior foi a constituição dos vãos dos quartos, pois pretende-se que não tenham ligação visual directa com o exterior. Desta forma, cada um dos quartos detém um pátio, permitindo que os vãos nunca se encontrem relacionados com o exterior. Estes pátios são complementados por portadas de correr ou fixas, que permitem o controle do exterior para o interior e vice-versa.

 

Ficha Técnica

Localização                            Estoril
Ano de projecto 2018
Conclusão da obra
Área de construção 420 m2
Arquitectura Marco Ligeiro
Colaboradores Luis Pereira, André Caetano, Gabriela Garcia, Andreia Lopes
Construção  –
Programa Moradia Unifamiliar
Serviços Projecto de Arquitectura, Projecto de Execução, Fiscalização de Obra
Fotografia  –